Somos um escola em Pastoral


ENCONTRO DA PASTORAL NA JORNADA PEDAGÓGICA 2018

Leia o texto abaixo:

Contextos teológicos e eclesiais da Pastoral Escolar: educar e evangelizar (Texto adaptado)

O termo PASTORAL tem uma origem cristã muito clara na figura assumida por Jesus em sua analogia com o pastor de ovelhas do seu tempo [...] Ao se assumir como bom pastor, Jesus sugere com esta figura a iniciativa amorosa de Deus que cuida, defende e promove; refere inclusive o extremo de arriscar e dar a própria vida nesse empenho pastoral. Esta atitude fundamental se traduz em práticas concretas de Jesus em favor dos pobres e discriminados do seu tempo, discriminados inclusive por alegações religiosas; por seus ensinamentos, oferece um sentido de vida dignificante e participativo para todos. A figura do Bom Pastor simboliza o cuidado que Jesus dedica, com o preço de sua vida, na defesa e na promoção da “vida em abundância” para todos (Jo 10,10); um cuidar que trouxe sentidos de vida com implicações político-religiosas e incidência nas relações que envolvem necessidades básicas como a fome, as carências econômicas, as segregações sociais (Mt 25, 31ss).

 À luz da figura do Bom Pastor e das práticas e do ensino de Jesus nela sintetizadas, compreende-se que a pastoral se abre para uma ampla gama de atividades, impulsionadas pelo amor missionário dos discípulos de Jesus. O compromisso com o outro, ao reconhecer a reciprocidade de irmãos e irmãs, provoca atividades de cuidado pastoral para além de fronteiras e interesses confessionais. A parábola do Bom Samaritano é clara a esse respeito. [...] Mas, a essencial atitude cuidadora ensinada por Jesus é uma proposta e uma coerente exigência para todo cristão nas suas múltiplas relações. Entre a atitude fundamental do cuidar e as diferentes atividades em que o cuidado se exerce, o termo pastoral de adjetivo se tornou um substantivo, para significar atividades de cuidado organizadas por um grupo comunitário em um espaço específico. Supõe-se que tais atividades estejam marcadas pelo Espírito de Jesus expresso pela figura do Bom Pastor.

A missão de todo cristão para contribuir na realização da justiça solidária e a paz, Reino de Deus no mundo, encontra no ambiente escolar um privilegiado espaço de exercício desta missão evangelizadora. O espírito pastoral (adjetivo) inspira as pessoas cristãs no ambiente escolar a assumir práticas e comportamentos de relações responsáveis pelo bem das pessoas e do seu ambiente. Para além de uma ética simplesmente civil, isto supõe a espiritualidade do Bom Pastor que ilumina e guia as práticas profissionais de professores, funcionários e mesmo dos alunos [...] que de um modo ou de outro comungam desta espiritualidade. Pode-se entender que desta forma aconteça uma evangelização na escola.

Mas a pastoral se torna substantiva na escola quando se faz organizada e planejada.Este passo supõe igualmente que a espiritualidade do Bom Pastor, assumida pela própria instituição, no caso uma escola católica, organize e planeje uma ação pastoral para o conjunto do ambiente escolar. Não basta contar com uma escola em espírito pastoral (adjetivo). É preciso uma organização capaz de provocar, alimentar e coordenar as iniciativas desse espírito. 

Referência: ANJOS, Márcio Fabri dos. Contextos teológicos e eclesiais da Pastoral Escolar: educar e evangelizar. Disponível em: <http://edbbrasil.org.br/gratuitos/trilhas-do-saber-1.pdf>. Acesso em 20 nov 2018.

(Formulário expirado)

Compartilhe:

Postar um comentário

 
Copyright © Colégio Franciscano Sagrada Família. Designed by OddThemes